Domingo, 21 de Setembro de 2014

III Feira de Talentos - O Linho


A vila tem uma história muito rica no que respeita à cultura e tratamento do linho. Há cerca de sessenta anos que deixou de se produzir. O linho tem uma longa história que um dia contaremos. Vilar maior bem merecia ter umMuseu do linho, um centro de interpretação.

Um obrigado à ti Olímpia e  Ana Maria por nos avivarem a memória e mostrarem o seu talento neste nobre produto.
publicado por julmar às 11:57
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 18 de Setembro de 2014

Procissão do Senhor dos Aflitos

Foto de Florinda Monteiro

A alguém que me interrogava porque é que o Senhor dos Aflitos permitia uma chuvada destas durante a sua procissão, apenas me ocorreu o salmo 139, versículo 17, que diz « Ó Deus, como são insondáveis para mim vossos desígnios! E quão imenso é o número deles!»


publicado por julmar às 18:08
link do post | comentar | favorito
|

Setembro, um milagre repetido

Setembro é o mês dos gatchos, na pronúncia do tempo dos tempos idos; era o mês, em que, por postura do regedor, os cães não podiam andar à solta por mor de não dizimarem as vinhas; era o mês em que os pobres, à socapa, tiravam gatchos para matar a fome e experimentar a doçura do moscatel. Setembro é a memória do cheiro do mosto dos lagares dos ricos e das dornas dos lavradores enfileiradas no cais da Praça e do Pelourinho.

Setembro é o mês da festa do Senhor dos Aflitos que, por sua graça, e por trabalho suor e lágrimas dos homens as arcas do pão se encheram, as tulhas das batatas cresceram e os tonéis aguardam o mosto que, fermentado, há-de, mais do que matar a sede, alegrar o coração dos homens.

 Este é o milagre todos os anos repetidos.

publicado por julmar às 15:41
link do post | comentar | favorito
|

III Feira de Talentos - Rotas e Raizes



Ainda que não sejam talentos da Vila enquadram-se perfeitamente nos objetivos que temos para esta feira. Uma empresa jovem, de jovens cujo sucesso significaria que no concelho do Sabugal se estariam a fazer muito do que deve ser feito. Vale a pena espreitar a página:


Permitimo-nos destacar os OBJETIVOS:Fomentar o Desenvolvimento Rural; Contribuir para o desenvolvimento local através de intervenções inovadoras; Promover o Turismo sustentável;Recuperar área útil agrícola e floresta; Incentivar a prática de Agricultura sustentável; Preservar a Floresta; Intervir nas áreas da agricultura, silvicultura, pecuária e similares de valorização sustentável das zonas rurais, gerindo propriedades agrícolas e florestais, organizando actividades de animação turísticA; Promover os produtos locais, fomentando o aumento das relações comerciais, criando embalagens personalizadas e distribuindo os produtos a nível nacional e internacionaL; Criar marcas de produtos para promoção em superfícies comerciais.



Muito obrigado pela participação, contamos convosco para a IV FEIRA DE TALENTOS.


publicado por julmar às 10:46
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 17 de Setembro de 2014

III Feira de Talentos - Arroz doce


Leonor Cunha

O arroz doce era a sobremesa usual do almoço da Festa do Senhor dos Aflitos. Qualquer um pode pegar numa receita (basta digitar no google e aparecem milhares) e, seguindo os passos, confeccionar o arroz doce. Porém, garanto-lhe que fazer arroz doce como o da Leonor, contém saber que nenhuma receita pode transmitir. Mais do que uma questão de saber é uma questão de sabor e este apura-se com a experiência.

Obrigado pela participação.
publicado por julmar às 12:09
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 15 de Setembro de 2014

III Feira de Talentos - Carolina Palos


Muita gente sabe fazer filhoses. Mas uma coisa é fazer filhóses, outra coisa é fazê-as tão bem que é difícil encontrar outras que se igualem. Por isso, quando quisémos tirar a fotografia já tinham ido quase todas. 

Obrigado, Carolina, até à próxima feira.
publicado por julmar às 18:31
link do post | comentar | favorito
|

A Banda de Loriga

 Banda de Loriga,que foi a Vilar Maior pela 1ª vez no ano de 1954 - 60 anos.Desta foto são vivos apenas.

De vez em quando, retiro do facebook algumas preciosidades, contando com o benevolente assentimento dos autores. Neste caso, é uma fotografia publicada pelo António Luís de Brito, um amigo de Vilar Maior que vai alimentando os laços que perduram há tantos anos. 

Sem pretensões, este blog contém um património que há-de constitur proveitosa memória futura, feita quase dia-à-dia de pequenas coisas.

publicado por julmar às 17:53
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 12 de Setembro de 2014

Mordomos velhos, mordomos novos

Assim se faz a festa com parabéns aos que terminam e votos de sucesso aos que começam

A equipa que termina
A equipa que começa
(Fotos retiradas da pag, Facebook de Vilar Maior)
publicado por julmar às 10:34
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 10 de Setembro de 2014

Festa do Divino Senhor dos Aflitos - "Ele está no meio de nós"

foto de Fátima Vaz Valente

São dias muito especiais os dias da Festa. É especial a Procissão de Velas no sábado, qual dança religiosa no andar cadenciado ao som da marcha da banda, iluminado pela luz mortiça das velas e pelo estrelejar dos foguetes de luzes; é a reza do terço com explicação dos mistérios (se é que os mistérios têm explicação); teria sido a missa campal, como se isto de ser campal acrescentasse uma dimensão cósmica de abertura ao transcendente, uma igreja que tem como limite o horizonte celeste; quis Deus que este ano assim não fosse obrigando a abrigar o cerimonial na Igreja da Misericórdia por mor da chuva caída durante a noite; é a procissão onde se cumprem promessas, feitas em horas de aflição, carregando um peso que é mais do que físico e serve de consolo espiritual e que Deus, os seus desígnios são insondáveis, quis atrapalhar com chuva torrencial. 

É um tempo sagrado, num espaço sagrado que corta o tempo profano. Penso que os vilarmaiorenses e os peregrinos que acorrem à festa do Sr dos Aflitos mais do que em qualquer outro espaço e tempo experienciam nesta festa a manifestação do sagrado. Mesmo os corações mais empedernidos dificilmente resistem à comoção no momento do Adeus. 
A festa religiosa é para os vilarmaiorenses uma autêntica epifânia e toda a liturgia religiosa envolvida em música e cânticos, em ornamentações florais, em promessas cumpridas, no som dos foguetes, no repicar dos sinos e com o coroar da entoação do Hino do Senhor dos Aflitos, dá verdade à afirmação:
"Ele está no meio de nós"!
  HINO DO SENHOR DOS AFLITOS

I

Nosso Senhor dos Aflitos

De dois anjos ladeado

Atendei corações contritos

Defendei-nos do pecado.

CORO

Ao deixar-te, ó meu Jesus

Ouvi hoje rogos meus

Derramai as vossas bênçãos

Aceitai o meu adeus

II

Nas desditas desta vida

E nas horas de aflição

Teu coração por nós palpita

Sede nossa consolação

III

Rei de Amor, Rei de Beleza

Sois o Deus, sois o Senhor

Canta a Terra Portuguesa

Canta o povo de Vilar Maio

publicado por julmar às 09:50
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 9 de Setembro de 2014

IV Encontro da Família Silva Leonardo


Foto do grupo à saída do restaurante O Pelicano

Pelo quarto ano consecutivo, reuniu-se a família Silva Leonardo, evento que tem sempre lugar no sábado da Festa do Senhor dos Aflitos. A maior parte desta que será porventura uma das maiores famílias da Vila não pôde estar presente, sobretudo os mais novos por razões de trabalho. Mas estiveram todos presentes nos nossos corações, também aqueles que já partiram.

Uma palavra de agradecimento à Susana que, ano após ano, organiza e promove o encontro.
publicado por julmar às 12:05
link do post | comentar | favorito
|

.Memórias de Vilar Maior, minha terra minha gente

.pesquisar

 

.Setembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

14
16
19
20

22
23
24
25
26
27

28
29
30


.posts recentes

. III Feira de Talentos - O...

. Procissão do Senhor dos A...

. Setembro, um milagre repe...

. III Feira de Talentos - R...

. III Feira de Talentos - A...

. III Feira de Talentos - C...

. A Banda de Loriga

. Mordomos velhos, mordomos...

. Festa do Divino Senhor do...

. IV Encontro da Família Si...

.arquivos

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

.links

.participar

. participe, leia, divulgue, opine

.

blogs SAPO

.subscrever feeds