Domingo, 19 de Julho de 2009

Se eu fosse Presidente da Junta

Em tempo pré-eleitoral todos nos prometem este mundo e o outro, o possível e o impossível, se confunde o sonho e a realidade. Ora, seria interessante, já que isto anda tão desanimado (deve ser do calor, do trabalho, das férias ...) ver o que é que os caros comentadores  seriam capazes de prometer.

Então, quem mais dá?

publicado por julmar às 19:48
link do post | comentar | favorito
|
18 comentários:
De anonimo a 20 de Julho de 2009 às 17:46
OLA A TODOS
nao vou apresentar a minha candidatura por 1 dia -
vou dar 1 notiçia ben mais triste
Faleçeu mais 1 conterranio nosso e ben joven
O JULIO BADANA mais conheçido por JULIO CHIA
pas a sua alma e sentidos pezamos para toda asua familia
boa tarde a todos


De Júlio Marques a 21 de Julho de 2009 às 19:18
Muito obrigado pela informação


De Anónimo a 21 de Julho de 2009 às 23:19
Então lá vai para animar o tema...
Se eu fosse presidente, nem que fosse só por um dia... O chafariz Voltava para onde nunca devia ter saído, porque aí é que estava bem e porque querendo ser castelo no local onde se encontra consegue fazer mais concorrencia directa ao castelo...porque como é óbvio estão a olhar-se de frente. No segundo dia da minha presidencia e caso eu fosse eleito para esse dia e não o conseguisse levar para esse local no primeiro dia, então vevá-lo ei para para o chão da forca, porque aqui sim é que faz concorrencia ao castelo porque parece-me que fica mais alto e aqui faz mais sombra.
Tenho dito acreditem em mim.


De A saudosista a 22 de Julho de 2009 às 00:42
Retirar o Chafariz do local onde agora se encontra? Nem pensar nisso. Lá se secavam os jardins regados (à "borliu") em noites cálidas de verão com as suas águas. E já agora, modesta como sou, se hipoteticamente viesse a exercer tal cargo, apenas faria com que fosse construído um moderno parque infantil em local acessível à criançada e perto da vista dos seus familiares. Não há crianças que o justifiquem? Alguma coisa tem que andar à frente, digo eu.


De Desmancha prazer a 22 de Julho de 2009 às 15:36
Saudosista!!!!!!
Não sei quem tu és?
Mas concordo plenamente Contigo.


De A Saudosista a 22 de Julho de 2009 às 19:43
Sou mulher nada e criada na vila, não residente como muitas outras, tenho filhos maiores e netos de tenra idade como outras tantas. E entristece-me o facto de, sempre que vou à terra, constatar que não existe um espaço que sei ser predilecto da pequenada. E essa tristeza é mais ampliada pelo facto de saber que tal espaço já existiu, mas que em nome da modernidade desapareceu. Concluindo: Vilar Maior progrediu em certos aspectos, o que é de louvar, mas regrediu em tantos outros o que se lamenta. Factos são factos e contra eles de pouco vale argumentar. É caso para dizer... Não havia necessidade.


De jarmeleiro a 22 de Julho de 2009 às 23:45
Eu que sou aquase iletrado nunca poderei ser presidente de coisa nenhuma a não ser da minha impresa de burros, quando e se hover condiçôes na vila prá criar. Mas como ninguém pode cortar os sonhos, nem aos aos analfabetos (paresque no mundo inda são a maioria infelizmente), se um dia tivesse mando na vila, havia de arranjar maneira de dar algumas honrarias aos que mais fizeram pela nossa terra. E até havia de começar pelo pai deste blog, o Doutor Júlio Marques, pois quem dá o seu tempo desta maneira e por môr desta causa bem o merece, inda que de cousa simples se tratasse. É que isto de lembrar aos vivos e deixar aos vindoiros as marcas dos tempos, é na minha maneira de ver obra de grande vulto. E eu sei de fonte limpa que os méritos mais das vezes tardam em ser lobrigados. Mas quando merecidos e não sendo eu profeta nem um Nostradamus, ele serão reconhecidos um dia.
Uma bôa noute pra todos.


De Bárbara Cardoso a 23 de Julho de 2009 às 00:46
Olá,

Não tenho queda para a política e não vislumbro no futuro vir a ter, por isso nunca pensei em nenhum "programa eleitoral". Mas ainda assim, aqui vão alguns temas que me vieram à cabeça quando li o desafio:
1 - Património . Neste campo tentaria dar andamento ao processo de classificação de Vilar Maior como Aldeia Histórica, o que para tal implicaria resolver várias questões relacionadas com o património arquitectónico e com o edificado.
2 - O parque infantil. Sem dúvida que seria uma prioridade, não tivesse eu um pequenote para o qual também acho que lá faz falta o dito.
3 - Promover Vilar Maior, de modo a aumentar o fluxo turístico.
4 - Promover desafios nas mais variadas áreas, de modo a cativar mais juventude.
5 - Limpar caminhos para facilitar os acessos aos que ainda trabalham e vivem em Vilar Maior e traçar rotas turísticas para que os turistas pudessem desfrutar do património paisagístico mais de perto.
6 - faria o meu melhor, como julgo que todos os que ocupam estes cargos tentam fazer.
A numeração não tem significado de ordem de prioridade e claro que muito mais haveria a fazer, mas como estamos no campo das hipóteses .. .
Cumprimentos ,

Bárbara Cardoso


De Che Guevara das Beiras a 23 de Julho de 2009 às 14:07
Aplaudido. E porque só a verdade é revolucionária, confirmado o facto de que as coisas não vão lá com homens, AS MULHERES AO PODER... JÁ.


De Futuro Presidente a 26 de Julho de 2009 às 16:17
Ora, diz o poeta que o sonho é que comanda a vida. E sabemos que nada do que não é pertence aos desjos, aos sonhos, aos ideias ... e o futuro é o que não é.
Então, seria assim:
- Vacas, cabras e burros deixariam de circular pelas ruas da vila. Nas vizunhas aldeias de Espanha isso acontece há muito;
- O lugar da Praça deixaria de ser um parque de estacionamento. Tenhampaciência mas o urbanismo tem as suas exigências.
- Embora o trânsito não seja assim tanto deveriam criar-se alguns sentidos únicos perfeitamente possíveis e razoáveis.
- Cuidar da sinalética em geral;
- 50% do tempo do cantoneiro (um luxo exclusivo de Vilar Maior) deveria ser gasto no amanho da limpeza de ruas e outros espaços públicos;
- Criação de um parque infantil. O que faz muitos ou alguns pais ir à vila são os filhos. Não terá o custo do Centro de Dia, nem do parque de jogos ... mas as crianças poucas que sejam merecem.
E mais voltaremos a dizer


De jarmeleiro a 28 de Julho de 2009 às 01:39
Os burros não poderem andar nas ruas da vila? Essa agora. Vocemeçê ou não está bom da cabeça, quer-me estragar o negócio, ou então desconhece Portugal. Então o quê que a Vila tem a mais do que a cidade de Sintra que até é património mundial ? Pois fique sabendo que ali circulam não digo burros mas cavalos com charretes , a solo ou em parelhas e olhe que não são poucos. Ah! mas são cavalos, dirá vocemeçê. E eu pergunto: E sabe-me dizer qual é diferença entre o cheiro do cócó duns e doutros? Pralém disso tamém há proteções pra essas coisas: Ora esta!!! Era o que faltava.
Tanha uma boa noute .


De O Futuro Presidente a 30 de Julho de 2009 às 09:19
Não poderia deixar sem resposta as objecções do Sr Jarmeleiro que, por aquilo que diz e pela forma como o faz, a merece.
Em 1º lugar pelo investimento que já prometeu fazer numa empresa de burros e que terá todo o meu apoio. O burro é, já por aqui foi dito, um ícone de Vilar Maior. Em Sintra de que fala não vê andar por ali à sorte cavalos mas antes de uma forma organizada e com um propósito determinado e apenas esse. Como será certamente o da sua futura empresa. Situações dessas acontecem um pouco por muitas zonas turísticas da Europa.
O que não faz sentido. o que já não faz sentido (eu já vi que é um homem do antigamente mas aberto ao futuro e à modernidade) é os animais conviverem na mesma habitação das pessoas, passearem-se quotidianamente pelas mesmas ruas. Nem faria sentido que se tivesse investido tanto dinheiro no saneamento para continuarmos a ter as ruas asfaltadas de bosta.
Tenha um bom dia


De Fiel ao Sr. "Leal" a 30 de Julho de 2009 às 14:22
Caro Futuro Presidente,
Só por curiosidade, refere-se a todo o tipo de animais ou só alguns?
E a cáca só incomoda a de alguns ou é a de todos? Mais lhe digo, que concordo perfeitamente com o Sr. Futuro Presidente, quanto à coabitação de animais irracionais com os outros animais. No entanto é aquilo que mais se verifica por esse mundo civilizado fora. Mas tal situação só choca em Vilar Maior em particular e no interior rural em geral. Se formos para o litoral civilizado aí tudo isso já é "very tipical ".
E se for no estrangeiro? Então aí é que é mesmo "giro".
Até já.


De Jarmeleiro a 1 de Agosto de 2009 às 00:05
Inda bem que respondeu ao meu comentário, porque já me deixou mais aleviado . E até lhe digo que não estava em causa o meu voto porque não posso votar na vila, pois não tanho lá morada mas os dos meus fameliares que até são bastantes não veria nem um. É claro que já não estamos em tempos de viverem as pessoas por cima e animais por baixo nas loijas , mais a mais agora que já há outras maneiras de aquecer as casas. E até alembro que a respeito desse assunto já aqui tinha dito que a estrebaria dos animais da minha futura firma já estava alinhavada ali prós lados do arreçaio . Bom, mas já vi que intendeu que se a coisa fôr àvante os animais vão ter que andar nas ruas, mas não andarão ao deus dará como vocemeçê disse e munto bem.
Ora como a falar é que a jente se intende ,
tanha uma boa noute .


De Futuro Presidente a 27 de Julho de 2009 às 22:41
Ora, então, aí vai o que faria, para além do que já se disse:
1) Rever a toponímia substituindo as designações topológicas - rua de Cima, Rua de Baixo, ladeira, Chorrião, as Portas , As Lages... -por figuras da história que têm a ver com Vilar Maior:D. Dinis, Infante D. João, Condes Teles da Silva, Luís de Bastos, D. Gaspar Rego da Fonseca etc qualquer um destes substituiria com vantagem a Rua da Galinha.
2) Criaçãodo Museu «A Escola do Estado Novo», no abandonado edifício das Escolas Prmárias do Plano Cinquentenário.
3) Renunciar ao ordenado de Presid ente canalizando-o para um funcionário administrativo que a tempo inteiro trate do Posto de Turismo e acompanhe os visitantes nomeadamente ao museu etnográfico.
E mais voltaremos a dizer.


De Anónimo a 28 de Julho de 2009 às 23:42
Olá futuro Presidente
Então explique lá como é que pagava com o "ordenado " do presidente a um empregado a tempo inteiro para tomar conta do museu e do posto de turismo se ao que consta esse valor não dá nem para pagar a meio tempo o ordenado mínimo desse trabalhador, isto sem contar com a segurança social, com o o seguro ?... Porque, Isto de trabalhar de graça e a seco parece que é exclusivo de presidente ou estarei eu enganado?
Ah... já calculo que fosse a solução os turistas teriam de adquirir uns papelinhos para a entrada?
Mas parece que isso em Vilar Maior não se usa!!!
Até parece que há quem diga e pense que o museu é propriedade privada... Gostaria de saber
Se alguem puder esclarecer... Eu e creio que muitos dos comentadores deste espaço agradecem.


De Futuro Presidente a 29 de Julho de 2009 às 09:56
Caro Anónimo
Como futuro Presidente farei o que muito bem entender do abono que me for atribuído e aplicá-lo no que bem entender. Pelo que diz, aquilo que se chama trabalho de voluntariado ou de serviço à comunidade (aquilo que designa como de graça e a seco) é para si quase ofensivo.
Depois quem visite monumentos, museus e outros lugares de interesse paga efectivamente aquilo que designa como "uns papelinhos" para poder usufruir da visita a um dado património. E quem não for capaz de apostar na capacidade de gerar receita através do património de Vilar maior não deve candidatar-se a futuro presidente de Vilar Maior. Há por essa Europa fora pequenas povoações com menos património que Vilar Maior e que conseguem uma economia cultural notável.
Deixemo-nos de lamentações!


De Anónimo a 12 de Março de 2010 às 12:08
ide trabalhar caralho...


Comentar post

.Memórias de Vilar Maior, minha terra minha gente

.pesquisar

 

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Requiescat in pace, Álvar...

. Contradições - O Riba-Côa...

. Ano 2051 - Senhora do Cas...

. Porque andas tu mal comig...

. Sinalização

. Um sítio para pousar a ca...

. Orca, a terra do senhor F...

. Ó sino da minha aldeia

. Que se passa?

. Demografia - Nonagenários...

.arquivos

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

.links

.participar

. participe, leia, divulgue, opine

.

blogs SAPO

.subscrever feeds