Sábado, 5 de Dezembro de 2009

O tempo das pândegas

(Foto gentilmente cedida por Helena Palos)

Quem são? Quando? O que fazem?

Não sei o que tenha a ver mas a música que associei à cena foi a canção mexicana «la cucarracha. É divertida, ora oiça:

http://www.youtube.com/watch?v=KiOyvNsDtBo

 

publicado por julmar às 11:17
link do post | comentar | favorito
|
12 comentários:
De India a 5 de Dezembro de 2009 às 12:06
Sim, quando éramos miúdos bem nos lembramos dessas pândegas que com mais frequência eram realizadas por pessoas da terra que "estavam bem na vida" (daí se calhar a presença de alguns de farda a quem não faltava o graveto ao fim do mês). Naturalmente que o que digo não é em tom pejorativo , pena era que todos não pudessem dar-se a esses luxos. E muitas vezes nem a comezaina ficava muito cara pois casos havia em que se matava um jumentito (burreco) e depois de assadinho na brasa sabia a pouco (só quem não comeu raposa, cuja carne tratada a preceito pelo Ti Xico Henriques, homem sabedor destes segredos) e depois da passagem pelas brasas comia-se por suculento borrego).
Estamos como dizem los nuestros hemanos : todo lo qui es refugao , es bueno .
Bom fim de semana.
Por mim vou ver se encontro "Perna longa" e vou passear com ele.


De beirão manhana/canivete a 5 de Dezembro de 2009 às 14:17
O 2º a contar da esquerda é o Prof. Pinheiro. O último parece-me o António Rasteiro. Os outros ainda vou ver se descubro.
Lembro-me de ouvir falar nas famosas pândegas em Vilar Maior. Muitas delas eram no Castelo, por fora, junto à muralha, à direita da torre, onde ainda se pode ver a marca das chamas de assar os cabritos, borregos e mesmo vitelos.
Algumas vezes, depois de os participantes estarem muito bem bebidos chegava a haver a chamada "2ª volta aos ossos". Depois de comida a carne, iam ao monte dos ossos para rapar as résteas que tinham ficado agarradas na "1ª volta".
Para regressar a casa é que tinha de ir quase sempre amparados e bem agarrados.


De Anónimo a 6 de Dezembro de 2009 às 01:28
Pois eu digo que por estarem ali assim a modos que agarrados uns aos outros e todos em enfileirados, estariam a preparar-se pra começar a bailar o apita o comboio. Mas é bem certo que havendo ali sombreros e cigarros, la cucarracha tamém vem a condizer. Como disse o comentador manhana /canivete, não há dudas que o segundo é o Pressor Pinheiro. Mas o último, embora tendo umas parecenças, não deve de ser o António Rasteiro. É que naqueles tempos, aí por 1930/ 1940, não era qualquera um que tinha cabidela nestas faenas . Eu até o encontro parecido com Júlio Palos e o que está com farda de gala será o irmão tenente Palos . O guarda fiscal dá ares ao ti Joquim Ferreira e o primeiro até pode ser o Sr. Professor Gonçalves. Quanto aos demais nem me estrevo a palpitar.
Munto bôa noute pra todos.


De Jarmeleiro a 6 de Dezembro de 2009 às 01:33
É só pra dizer que o comentário anterior é de Jarmeleiro .


De India a 6 de Dezembro de 2009 às 16:43
Veio a tempo amigo Jarmeleiro , caso contrário estava pronto para entrar e dizer que haveria um intruso a utilizar o seu estilo único de comentar.
De facto da maneira como-os nossos retratados estão lembra o "apita o comboio" mas com cigarros na mão , assim não podiam ligar as carruagens; agora que parece que se o primeiro caissse para a frente parece que estariamos perante numa de efeito de dominó e lá iriam todos para o cambulhâo, lá isso parece!!.
Como eu disse atrás estas coisas não eram de facto para todos os estratos sociais.


De Manuel Maria a 6 de Dezembro de 2009 às 07:46
O Rasyeiro naquela altura ainda não tinha idade para estas vidas... Ia jurar que era o meu avô, por ums foto que vi dele por essa altura... mas não juro!


De Manuel Maria a 6 de Dezembro de 2009 às 07:48
o último da direita, nem entendido...


De Canivete a 6 de Dezembro de 2009 às 16:50
Caro Manuel Maria quer-me parecer que essa troca de letras dever-se-á á hora matinal em que fez o comentário e que eventualmente ainda haja um pouquinho de sono que ficou por pôr em dia.
Peço desculpa do reparo.
Um abraço.


De Manuel Maria a 6 de Dezembro de 2009 às 17:08
Noite mal dormida, mesmo...


De Júlio Marques a 6 de Dezembro de 2009 às 17:47
Também não vou muito além dos caros comentadores. Devo apenas acrescentar que o último do lado direito não tenho dúvidas que seja o Sr Júlio Palos. Quanto ao guarda Fiscal eu apostaria no ti Zé Florêncio. Os dois de cabeça descoberta, não faço ideia. Se o sr Jarmeleiro, que há-de por força da idade suposta, o não sabe, quem o saberá?


De O Identificador a 29 de Dezembro de 2009 às 18:45
Da esquerda para a Direita: saltando o 1º ilustre desconhecido, vamos a eles: Professor Pinheiro, Tenente Palos, João Bárbara, José Simões, José Florêncio e Júlio Palos.


De josesvalente a 6 de Julho de 2010 às 04:24
Nos anos 1930/40, faziam-se muitas pandigas em
Vilar Maior. Quanto aos senhores daquele tempo,
na minha opiniao, vou nomia-los assim.
O primeiro da esquerda para a direita ; o ti
Henriques (o regedor da vila); professor Pinheiro;
tenente Palos; Joaquim Manuel Simoes (irmao do
Alvaro; Toninho Neves (filho do Sr.Julio Neves, e
irmao do Ze Pedro. Foi o primeiro marido da
Julieta); O policia Ze Florencio; no ultimo tenho
duvida, pode ser da familia dos Rasteiros.


Comentar post

.Memórias de Vilar Maior, minha terra minha gente

.pesquisar

 

.Dezembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.posts recentes

. Lendas de Portugal

. Requiescat in Pace, Ana D...

. Requiescat in pace, Maria...

. Armário Judaico no Baraça...

. Citânia de Oppidanea

. Gente da minha terra

. Viagens ao pé da porta - ...

. Eleições à porta

. Requiescat in pace, Álvar...

. Contradições - O Riba-Côa...

.arquivos

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

.links

.participar

. participe, leia, divulgue, opine

.

blogs SAPO

.subscrever feeds