Quinta-feira, 3 de Novembro de 2011

A AGUARDENTE NA SUA MULTIPLICIDADE FUNCIONAL - Dr Leal Freire

 

As grandes destilações são na nossa zona de data recente.

O que não significa que se não produzisse aguardentes, prática aliás secularmente tradicional.

Genericamente, usava-se para o efeito uma caldeira móvel de origem árabe, a alquitarra que de Outubro a Março saltitava de cabanal para cabanal, quando se não implantava  mesmo em pátio destelhado.

Raros, efectivamente, eram os alambiques, de estrutura fixa e que exigiam cortinha própria e apropriada e proximidade de poço ou fonte com água cabonde.

Ambos os sistemas funcionava a lenha, criteriosamente seleccionada de forma a se obter brasel que perdurasse, mas sem crepitante chama.

Rachões de carvalho eram o normal, embora se não engeitassem o freixo  ou  se lhe preferisse o carrasco, que, todavia rareava e praticamente se restringia  aos últimos redutos do Carril, já ligados  a Fuentes e  Alamedilla.

A matéria prima era o bagaço - a casca de uva, espremida no lagar  e depois conservada em dornas de boca coberta com uma mistura argilosa encimada por folhas de parra.

Havia também quem destilasse figos, maças, cerejas, mas eram poucos e só excepcionalmente o faziam, sendo certo que, pode afirmar-se, não existir fruto, no sentido mais abrangente do termo, que não seja destilável.

Genebras, vodcas, uisque, rum...antigamente desconhecidos aqui na Raia Sabugaldense, mas hoje acessivel a qualquer pelintra ou bilontra, provêm  de cana sacarina, uns, de  cereais, outros,  e de batatas até.

A cerveja pode usar a cevada, a aveia, o lúpulo, o milho, até a bolota.

A alquitarra requeria ciência e prática. E, acima de tudo paciência.

A adequação da intensidade calorífica, a temperatura no capitel, as porções a destilar em cada caldeirada eram factores determinantes, quer relativamenteno  às quantidades, quer quanto à qualidade do produto, sendo certo que a melhor  aguardente é a que sai a meio da operação.

A primeira tem um certo grau de toxicidade que a relega para a farmacopeia e a última costuma revelar tão baixo grau que dela se diz que apenas serve para lavar a cara aos santos.

Conquanto a destilação seja uma operação normalmente nocturna, o o alquitarreiro não costuma estar só.

O lume, apetecível noite em fora, a hipótese de beber um trago, ainda que da pior, ou de mordiscar uma batata tostada no braseal, atraem os moinas.

Além de que é sempre agradável ouvir os diálogos que em torno da caldeira se suscitam, lições de folclore, de história local, de milagres de santos, de safadezas de bruxas e lobisomens..E não há melhor alcoviteira do que uma fogueira na noite.

Á medida em que ia saindo e depois de um certo arrefecimento, a aguardente guardava-se em garrafões empalhados ou em talhas de barro vidrado, de onde passariam a recipientes menores adequados aos usos do quotidiano.

Os lavradores de mais posses usavam-na para a confecção da geropiga, numa proporção maior ou menor, a um terço ou a um quinto, consoante o grau a atingir.

Outros conservam ginjas, cerejas e rodelas de frutos de que disponham. Ou enchem garrafas que foram de anis, frunchando-as…

A maior parte usa-a para mata-bicho matinal, alguns com tanta frequência e alta dose que em vez da hidra de lerna que se lhes instalou nos buchos se matam a eles próprios.

Mas genericamwnte, a função é salutar e substitui mesmo os desinfectantes de base farmacológica.

Da medicina caseira contra gripes e catarros, faz parte a Queimada, com açúcar, às vezes enriquecida a canela.

A prática é universal.

Eu faço parte de duas confrarias espanholas que a têm por símbolo

E desde o tempo das grandes peregrinações jacobeias.

Na Galiza, onde como todos sabem, fica o centro do culto a São Tiago, e no País Basco, onde entroncava o Caminho Francês.

Já agora, aproveito para recordar como de Jacob se passou a Santiago e a Tiago.

Jacob deu a palavra Iago, que por crase com Santo deu Santiago, que, por diérese   ou divisão deu Tiago

publicado por julmar às 15:38
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Suplementos Alimentares a 4 de Novembro de 2011 às 18:12
Afinal a aguardente é boa :D


Comentar post

.Memórias de Vilar Maior, minha terra minha gente

.pesquisar

 

.Julho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
14
15

16
17
19
20
21
22

23
24
25
26
27
29

30
31


.posts recentes

. Contradições - O Riba-Côa...

. Ano 2051 - Senhora do Cas...

. Porque andas tu mal comig...

. Sinalização

. Um sítio para pousar a ca...

. Orca, a terra do senhor F...

. Ó sino da minha aldeia

. Que se passa?

. Demografia - Nonagenários...

. Vida de cão!

.arquivos

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

.links

.participar

. participe, leia, divulgue, opine

.

blogs SAPO

.subscrever feeds