Quinta-feira, 20 de Dezembro de 2007

Sobre a casa da discórdia - Ribacôa

E ESTA HEM !
Fala-se, comenta-se e tecem-se variados considerandos sobre casas bem feitas, mal feitas, de granito trabalhado, de pedra tosca, grossa, miúda , do fundo e do cimo da Vila. Não fosse esta fotografia e eu nem me lembrava da existência desta casa. A razão que encontro para tal é simples e radica no conceito que eu tenho de casa de aldeia, de lar, de habitação, de família vista em moldes mais ou menos tradicionais. Efectivamente, a casa da discórdia, não reúne nenhuma dessas características . Contudo, nem por isso deixa de levantar celeuma, mormente quando se questionam aspectos relacionados com a sua génese, estilo arquitectónico e, quiçá, o seu tamanho. Por mim, não sei será uma grande casa. Mas lá que é uma casa grande, disso não tenho dúvidas. Tão grande que asseguram alguns que a sua área de implantação ultrapassa o espaço do imóvel de origem e seus anexos o que, a ser verdade, é reconhecer que entrou pelo espaço público ( e se fosse caso único!) . Quanto à traça arquitectónica, não vale a pena recorrer à adivinhação. É exactamente aquilo que ali está. A meu ver e para simplificar, direi que é uma aproximação à arquitectura do chafariz recentemente retirado - "transladado"?- , com o argumento de não ter qualquer valor arquitectónico e não obedecer às boas regras de enquadramento do novo espaço remodelado. A ser assim e por maioria de razão, os mesmos argumentos deveriam ter prevalecido quanto à casa, a qual deveria ter seguido as pisadas daquele, ou seja, o caminho do buraco, onde, diga-se, o proprietário possui espaço de sobra. Se tal tivesse acontecido e com a partilha de um espaço próximo entre ambos (casa e chafariz), resultariam enormes benefícios para a preservação da paisagem envolvente ou, no mínimo, o minorar o daquilo que poderia ser uma verdadeira catástrofe ambiental.
Nota; Tudo isto que venho de referir seria assunto sério se as duas edificações em causa fossem cinsideras verdadeiros monos, abortos ou mamarrachos. Mas como não os vejo como tal, há que tirar as devidas elações.

Dizem os versos modernos (os meus)

É a casa da discórdia
o certo é que ela está feita
mas dizem que quem torto nasce
tarde ou nunca se endireita.

O homem não é culpado
por tal obra ter erguido
aplicassem o legislado
e logo o teriam sustido.

A quem rédea solta dão
não lhes peçam pra parar
abrem carreira e então
é ve-los a galopar.

Dizem que parece um tolo
mas há muitos que ele conhece
que não sendo o que ele é
são aquilo que ele parece.
(Adaptada
publicado por julmar às 22:27
link do post | comentar | favorito
|

.Memórias de Vilar Maior, minha terra minha gente

.pesquisar

 

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Requiescat in pace, Maria...

. Armário Judaico no Baraça...

. Citânia de Oppidanea

. Gente da minha terra

. Viagens ao pé da porta - ...

. Eleições à porta

. Requiescat in pace, Álvar...

. Contradições - O Riba-Côa...

. Ano 2051 - Senhora do Cas...

. Porque andas tu mal comig...

.arquivos

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

.links

.participar

. participe, leia, divulgue, opine

.

blogs SAPO

.subscrever feeds