Segunda-feira, 1 de Abril de 2013

Viriato no termo de Vilar Maior? Dr Leal Freire

Terá Viriato estanciado ou ao menos passado pelo termo de Vilar Maior? A   palavra  Viriato  pode  ser  tomada  em  duas   acepções Uma   restrita  à   personalidade   do  grande   chefe   de  guerrilhas   que  incarnou   a  resistência   das  populações  autóctones   da   Lusitânia   contra  o  invasor  romano. Outra  referenciando   qualqer  elemento dessa  guerrilha. Aliás   foi   segundo  esta   última   acepção  que  o  termo  como   que  se  europeizou. Falando-se  de  VIRIATOS   em  todos  os  lugares    onde   aquela   resistência   se  manifestou, designadamente  nas  regiões  montanhosas  das   Hespanhas A  propósito, escreveu  Andrade Moniz, Viriato   é um  herói  lusitano, sempre   presente  no  imaginário   português. A  sua heróica  resistência  ao  domínio  romano  é  símbolo  programático    de  todas  as lutas  nacionais, designadamente as  da  crise   1383-1385, contra a  invasão   castelhana, as  guerras  da Restauraçao   contra  o  domínio   filipino...1640/ 1668—e  da  chamada   campanha   peninsular   contra  as  invasões  francesas—1807/1811. No   entanto, queixa-se  o  autor, não  são  abundantes  as   produções  literárias    que  evoquem  o grande  herói  lusitano Sobressai a  referência camoniana, in  Os Lusíadas, Canto III: Ao pastor que de homem forte os feitos teve Cuja fama ninguém verá que dome Pois a grande de Roma não se atreve ... Sobressai   também   com  o nome  do  herói no poema  de  Fernando  Pessoa, no  seu  livro  MENSAGEM, onde  a linguagem  utilizada  apela   à  memória  do instinto   heróico, numa  linguagem   simultaneamente  fundacional  e  neofundacional, inspirada   na  metáfora   da   Aurora Faria- Luz da Madrugada Da antemanhã Com um confuso nada ainda Mas  a  grande   produção  consagrada   ao  herói lusitano  é  já  o  dissemos, em  crónica   anterior, o  poema    heróico   VIriato Trágico, de   BRAS  GARCIA   DE  MASCARENHAS, que   como  também  já  deixamos  registado, foi  governador  das  praças  militares   da   Raia   Sabugalense   durante  as  guerras  da  Restauração Natural  de   Avô, abas   ocidentais  dos   Hermínios, alargou  naturalmente  o  teatro  de   guerra  de  Viriato, o  chefe, até  ao  planalto  ciscudano, que  bem  conhecia  das  suas funções   de  alcaidaria. De   modo  que  se  ao  termo  de  Vilar   Maior   não  terá  feito  chegar   Viriato, o  grande  chefe, já  refere  a  presença nestas  terras   de  muitos  viriatos, agora   na  acepção  de  membros   menores  da  guerrilha  lusitana.

publicado por julmar às 20:11
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Manuel Maria a 1 de Abril de 2013 às 21:37
Sobre a vida de Viriato é quase tudo lendário, e tudo o que se diz é na sequência do "Viriato" de Tófilo Braga.


Comentar post

.Memórias de Vilar Maior, minha terra minha gente

.pesquisar

 

.Julho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
14
15

16
17
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. Ano 2051 - Senhora do Cas...

. Porque andas tu mal comig...

. Sinalização

. Um sítio para pousar a ca...

. Orca, a terra do senhor F...

. Ó sino da minha aldeia

. Que se passa?

. Demografia - Nonagenários...

. Vida de cão!

. Requiescat in pace, Adria...

.arquivos

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

.links

.participar

. participe, leia, divulgue, opine

.

blogs SAPO

.subscrever feeds