Sexta-feira, 26 de Abril de 2013

Exortação aos arraianos! - Alcínio Vicente, In Capeia Arraiana

  Não resisti à divulgação da pintura e do texto de Alcínio Valente. Merece ser visto, merece ser lido. E deveria sevir de efetiva exortação para tomarmos o destino nas nossas mãos e sair da resignação que, dia após dia, nos torna menores.

Malha - pintura de Alcínio

Porque nos recusamos a pactuar com aqueles, que nos condenaram a uma vida de agonia expectante.
A nossa vontade é inquebrantável.
Cruzámos o mundo de lés a lés.
Descalços, a pé,de carro, e carregados de contrabando ou de ilusões.
Estivemos em França, Alemanha, toda a Europa, África, América Latina e do Norte, Índia e China, em todas as partes do mundo.
Regressámos e voltaremos porque somos imparáveis e invencíveis.
Os cofres dos bancos abarrotaram-se com as remessas dos nossos emigrantes, mas como prémio recebemos o esquecimento.
Estamos fartos de políticos, tecnocratas, burocratas, de fazedores de opinião, dos iluminados e comentadores, porque com todo este saber o país afundar-se-á no Atlântico, mas nós beirões sobreviveremos ancorados aos nossos carvalhos centenários.
Dêmo-nos as mãos, onde nos encontremos, e veremos que somos do tamanho do Mundo.
O sol ainda se levanta, inundando de luz, os nossos vales e serras antes de se esconder no horizonte.
Há noites de prata ao luar.
No silêncio da noite, o rouxinol ainda se faz ouvir interpretando as suas infindáveis partituras, com cantos celestiais.
As águas dos ribeiros saltam de cascata em cascata, por entre os estreitos e sinuosos leitos.
Há festas e romarias.
Estrelejam foguetes no céu.
Bandas de música animam as nossas aldeias.
Desfilam os santos em procissões, nas ruas em dias de festa.
É dia de capeia na aldeia, por entre o arvoredo e poeira, divisa-se um cenário bélico, a infantaria avançada e a cavalaria atrás, entrará triunfante por entre a multidão, que se acotovela por todo o lado à passagem do tropel.
Á tarde é a espera ao forcão, com a praça apinhada de gente, a juventude entrincheirada atrás da pesada estrutura de madeira, espera firme o embate da fera, que roda para um lado ou outro, tentando ultrapassar a muralha, que parece telecomandada.
Se alguém for colhido, então o grupo actuará como um enxame humano sobre o touro.
Nesses dias as nossas aldeias, inundam-se de gentes vindas de todas as partes do mundo…
Ainda ouvimos os murmúrios dos contrabandistas, misturados com as sombras do arvoredo na solidão das noites invernosas.
Ouvi o ranger dos eixos e rodados dos carros de bois, no seu lento trepidar nos irregulares e estreitos caminhos.
Olhai e ouvi o ondular das searas ao vento.
Inalai o perfume das flores do campo, que trazem os odores dos nossos antepassados, que mourejaram por estas terras.
Há lágrimas de dor pungente nos nossos corações, torturados pela saudade sentida, por aqueles que connosco privaram.
Ouvi os manguais vibrar nos molhos de centeio, estendidos na laje granítica.
Vêde como a pá de madeira, lança ao ar o centeio, para o vento o separar das praganas.
As nossas casas de granito, serão o testemunho da nossa passagem por estas paragens, como as pegadas de dinossauros que o mundo não apagará.
Nós somos os que abrimos os caminhos da vida, carregando o corpo e a alma dilacerada, pelas venturas e desventuras da experiência.
Explodimos as lajes graníticas, para construirmos as nossas casas.
Esventrámos as nossas terras, para extrair água dos poços e semeámos e regámos todas as leiras de terra.
Plantámos pomares e vinhedos, entre os barrocais e montes eriçados.
Semeámos o linho, com que fabricámos as albas camisas e lençóis.
Partilhámos as nossas casas com os animais, e fertilizamos os campos com o seu estrume.
Para adquirir competências e saber, inundámos universidades e provámos nos Ministérios, Forças Armadas, outras instituições e associações profissionais, a nossa valia.
Mobilizemos as influências e competências de todos os arraianos, para alimentarmos ainda o sonho de mudança.
Não aceitaremos ser objecto de um parque jurássico…
Alcínio Vicente

publicado por julmar às 16:18
link do post | comentar | favorito
|

.Memórias de Vilar Maior, minha terra minha gente

.pesquisar

 

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Citânia de Oppidanea

. Gente da minha terra

. Viagens ao pé da porta - ...

. Eleições à porta

. Requiescat in pace, Álvar...

. Contradições - O Riba-Côa...

. Ano 2051 - Senhora do Cas...

. Porque andas tu mal comig...

. Sinalização

. Um sítio para pousar a ca...

.arquivos

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

.links

.participar

. participe, leia, divulgue, opine

.

blogs SAPO

.subscrever feeds