Sábado, 9 de Fevereiro de 2008

Sabe onde fica esta construção?

publicado por julmar às 19:56
link do post | comentar | favorito
|
5 comentários:
De Vilar a 10 de Fevereiro de 2008 às 01:03
Possivelmente, o fotógrafo terá escolhido (de sofisma?) o melhor ângulo de enquadramento da imagem, de molde a dificultar a resposta à pergunta que formula. A ser verdade, os intentos poderão sair gorados, face a tamanha aberração, como é a da construção apresentada na imagem. É que, como o barracão (cuja finalidade inicial teria sido pensada para uma corte de ovelhas) se encontra situado em local tão estratégico e altaneiro, não haverá qualquer entrada em Vilar Maior (exceptuando, talvez, as do Pinguelo /Fraga e a do Enchido/Castelo), que não choque qualquer comum dos dos mortais ao avistá-lo. Depois, quem estiver interessado (se é que algum interesse haverá nisso) em vê-lo de perto, é só dirigir-se aos Craveiros, virar à direita e subir a Talainha " ou Atalainha . E se for alguém curioso e interessado por questões de toponímica e pretenda saber a origem do lugar, alguém lhe explicará que o mesmo se deve ao facto de, em tempos, perto daquela construção senão no próprio local de implantação, existiu uma atalainha que juntamente com a Atalaia das Moitas e a da Santa Marinha (se não erro), cujas ruínas ainda são visíveis, constituíam postos estratégicos avançados de vigilância e defesa, relativamente ao castelo. E era naquele local antes de ocupado com o "mamarracho", que o Zé Laranja, volta e meia, obsequiava os Vilarmaiorenses com umas serenatas de acordeão nas cálidas noites de Verão.


De Anónimo a 10 de Fevereiro de 2008 às 19:12
A ser um curral de ovelhas qual a finalidade da antena de televisão? Já ouvi dizer que em caso de animais stressados, uma boa terapia consiste em dar-lhes cessões de música. Mas colocá-los a ver televisão com essa finalidade, é novidade para mim.


De julmar a 10 de Fevereiro de 2008 às 21:34
Ponto de vista
Está lá tão no alto que o difícil seria não ver. Porém, tudo depende da maneira como se vê. Há mesmo uma maneira de ver que consiste em não ver. Para quem o mandou fazer, respondeu puramente a uma necessidade que, segundo Vilar terá sido abrigar o gado. Não sei o que o seu proprietário terá pensado (ou se terá pensado) da questão estética da construção. O homem tinha gosto musical, e lembro-me das noites cálidas de Verão em que, lá do alto, descia a música tirada do tactear das notas do acordeão. É verdade que não era nenhum primor, mas é inquestionável que quem toca um instrumento tem gosto em o tocar. Claro que uns tamancos serão sempre considerados como calçado grosseiro mas nem por isso deixam de dar aconchego e conforto a quem os usa. Era essa a utilíssima arte do pai do José Fonseca, por alcunha Laranja. Ora bem, também a música pode ser atamancada e nem por isso deixa de dar gozo a quem a executa.
O que quero dizer é que, concerteza, o seu proprietário há-de, para além da utilidade, da construção ter olhado de perto e ter olhado de longe e soltado um adjectivo sobre a beleza da obra. O homem, um dos poucos que não terão emigrado, de trato muito agradável, praticante de vários ofícios , nomeadamente, o da enxertia e conhecedor de variadíssimos processos de caça, fez o que lhe pareceu bem.
Eu tive ocasião, de estar no local recentemente. É um sítio magnífico com uma paisagem fabulosa com avistamento até longa distância como convinha a uma atalaia. E é num sítio histórico como este que se licencia uma construção assim!
Lá tão no alto e a Junta – que se supõe zelar pelo bem comum – não viu; a Câmara não viu. E o que eu acho grave é que muita gente não vê.


De Jarmeleiro a 10 de Fevereiro de 2008 às 22:52
Eu cá por mim, vendo o retrato assim ao perto nunca daria aresto do sitio. Realmente está ali uma grande marranada como diria o Tonho Jeromino . E essa coisa do ver ou não ver, é como diz o otro . Se calhar são de Olhão jogam no Boavista mas passam plo arco Cego. E o Zé Fonseca (todos zés ) a unica culpa que teve foi querer fazer a obra. O homem até era um artista. Na caça fazia jeringonças e armadilhas. Caçava aquilo que os otros no viam e nunca usou espinhada . Na concertina é verdade que muntas vezes andava pra ali às aranzas e não atinava com as modas. Mas munto fazia ele porque quem teve como pressor o Zé Bernardo, que só sabia o caga cão, não se pode pedir mais. Mas já no pífaro , que ele fazia dos troncos do sabugueiro, aí ninguem o atrapalhava. E foi o primeiro pastor na Vila a ter uma piara completa de ovelhas marinas. Que Deus o tanha em paz.


De Anónimo a 16 de Fevereiro de 2008 às 15:17
"E o que acho grave é que muita gente não vê"
Esses são os tais que utilizam aquele método que só vêm o que lhes convém, ou seja, aquela maneira de ver, que consiste em não ver.


Comentar post

.Memórias de Vilar Maior, minha terra minha gente

.pesquisar

 

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Requiescat in pace, Maria...

. Armário Judaico no Baraça...

. Citânia de Oppidanea

. Gente da minha terra

. Viagens ao pé da porta - ...

. Eleições à porta

. Requiescat in pace, Álvar...

. Contradições - O Riba-Côa...

. Ano 2051 - Senhora do Cas...

. Porque andas tu mal comig...

.arquivos

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

.links

.participar

. participe, leia, divulgue, opine

.

blogs SAPO

.subscrever feeds