Segunda-feira, 31 de Agosto de 2015

Trilho do Vale do Cesarão

DSC_0010.JPG

 

No programa de Percursos Pedestres, sob a designação Caminhar com Vida, organizados pelo Município do Sabugal, teve lugar no dia 30 de Agosto o Percurso da rora do Cesarão.

DSC_0037.JPG

 O percurso tem uma extensão de 9,4 Km, com uma extensão de 9,4Km, algo difícil.Em termos de beleza natural, que é excecional, esta data não é a mais indicada. No mês de Maio teríamos o murmúrio das águas do Cesarão como som de fundo, os múltiplos ribeiros escoando as águas pelo verde das pradarias e o incessante canto de aves variegadas. O Castelo da Vila, lá no alto acompanha-o em todo o percurso. Depois do passeio por recantos da Vila, tem a magnífica descida das Escaleirinhas - a parte mais difícil mas também a mais rica em termos de flora e de geomorfologia com o Cesarão lá bem no fundo de fragas escarpas. Passa o Cesarão por um craterístico pontão a que se segue uma subida,  com uma bem trabalhada calçada medieval (sendo que os mais bairristas hão-de-lhe dizer que é uma calçada romana), no fim da qual terá, do lado esquerdo, um conjunto de sepulturas escavadas na rocha, e do lado esquerdo, as ruínas de duas casas com um imponente pio em granito. E segue pelo caminho no sopé do extenso cabeço do Vale da Lapa, atravessa o ribeiro com o mesmo nome (mesmo num ano sêco como este ncontinua a correr) para iniciar a subida para a Arrifana.

DSC_0068.JPG

Ao longo do percurso, uma arqueolgia do trabalho dos nossos antepassados documentado na perfeição com que talhavam a pedra, construíam muros que ladeavam caminhos, amparavam terras, separvam propriedades, restos de latadas com esteios incrustrados nos muros, portaleiras e portais consoante as necessidades de quem havia de sair ou entrar, engenhos de elevar água - noras e picotas - abrigos de pastores. Tudo de dommesticar a natureza, de a pôr ao seu serviço.

DSC_0043.JPG

 

E vencer a morte  como testemunham cruzeiros  que lembram tragédias do Vale de Lágrimas e Alminhas que esperam a reza de um Padre Nosso dos caninhantes que as conduzam ao resplendor da luz perpétua.

Imponente, toda  a extensa descida da Arrifana até à confluência do Cesarão dom a Ribeira de Alfaiates. Só visto. Como é que ninguém repara naquela extensa calçada? A dureza das pedras e lageados sulcados pelas rodas ferradas dos carros das vacas é um testemunho da luta destas gentes na construção da civilização.

DSC_0052.JPG

Só vacas muito bem ferradas podiam vencer tão extensa e íngrema subida. Lá no fundo, a fila das poldras - tão perfeitas - para alcançar a outra margem, por onde regressará em subida fácil ao ponto de partida.

DSC_0080.JPG

 No final, uma farta refeição, tendo como prato principal Rancho - para o Norte chamam-lhe Massa à Lavrador- retemperou as forças e a vontade de fazer o mesmo percurso, em tempo temperado, e com tempo para reparar.

 

publicado por julmar às 08:02
link do post | comentar | favorito
|

.Memórias de Vilar Maior, minha terra minha gente

.pesquisar

 

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Requiescat in pace, Maria...

. Armário Judaico no Baraça...

. Citânia de Oppidanea

. Gente da minha terra

. Viagens ao pé da porta - ...

. Eleições à porta

. Requiescat in pace, Álvar...

. Contradições - O Riba-Côa...

. Ano 2051 - Senhora do Cas...

. Porque andas tu mal comig...

.arquivos

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

.links

.participar

. participe, leia, divulgue, opine

.

blogs SAPO

.subscrever feeds