Terça-feira, 4 de Janeiro de 2011

Passagem do ano

A Comissão de Festas do Sr dos Aflitos organizou a passagem de ano no Centro de Dia. A avaliar pelas fotos retiradas do face book da Bárbara  foi festa animada.

 

 

 

 

 

publicado por julmar às 22:30
link do post | comentar | favorito
12 comentários:
De Arraiana a 4 de Janeiro de 2011 às 23:19
Parabens aos organizadores eaos participantes. È bonito ver as pessoas a conviver.È destas iniciativas que as aldeias precisam para não ficarem no esquecimento.


De Bárbara Cardoso a 5 de Janeiro de 2011 às 12:51
Olá,

Obrigado por divulgar.
A festa foi divertida. Estavam todos muito animados.

Cumprimentos,

Bárbara Cardoso


De Anónimo a 5 de Janeiro de 2011 às 20:36
Efectivamente, a festa de passagem de ano esteve muito animada. Comeu-se, bebeu-se, conversou-se, dançou-se. E, deste ambiente de salutar convívio, para além de outros objectivos, é óbvio que saíram reforçados os laços de amizade e fraternidade entre todos os convivas. À meia noite (momento alto do evento), uma vez comidas as tradicionais doze passas de uva, jorrou o champanhe, ao mesmo tempo que o céu era rasgado por clarões resultantes de belo fogo de artifício, cuja sessão foi promovida pelo Sr. José Pedro. Aí (salvo as devidas proporções), até me imaginei algures no Funchal ou na foz do Douro, perto de Gaia ou Porto. E para completar o menu não faltou um grupo de crianças cantando e pedindo as janeiras, trazendo-nos à memória essa velhinha tradição da Vila. Em suma, foi uma óptima iniciativa bem concebida e bem sucedida. Estão de parabéns os mordomos e todas as pessoas que, de alguma forma, contribuíram para o sucesso do evento.

Carlos Marques.


De Anónimo a 5 de Janeiro de 2011 às 21:56
Pela primeira vez tive ensejo de confraternizar desta forma, com todo este grupo de pessoas, mais parecendo uma ceia (como se dizia antigamente na Vila ao que hoje chamamos de jantar). Houve na verdade um espírito de família e na minha opinião pessoal, seria um evento a repetir pelo menos mais uma vez, talvez na Páscoa. Nesta data porque haverá na Vila pessoas que habitualmente não estão cá.
Constatei que foi do agrado das pessoas que participaram e não se importariam de dispender uns euros na inscrição para novo convívio deste tipo. Sentiu-se um ambiente familiar que só trás benefícios a toda a família vilamaiorense, reforçando os laços de amizade já existentes.

Bom Ano 2011 para todos, incluindo os amigos da nossa terra.

João Marques


De Sãozinha a 6 de Janeiro de 2011 às 12:46
É bom ver os participantes tão animados é sinal que gostaram e que se deve repetir!
Desejo um Ano Novo cheio de SAUDE e PAZ a todos os vilarmaiorenses e famílias espalhadas pelo mundo fora!

Sãozinha


De Comissão de Festas 2011 a 6 de Janeiro de 2011 às 13:03
Olá a todos,

Agradecemos os elogios. Gostámos muito de organizar este evento. Vamos tentar fazer mais e ver se da próxima o jantar demora menos a ser servido. A experiência a trabalhar com o forno comunitário era pouca....
Bom ano a todos e muito obrigado pela vossa participação.

Comissão de Festas 2011


De Jarmeleiro a 10 de Janeiro de 2011 às 22:39
É o resultado dos novos ( neste caso não os de agora) não terem inclinação pra aprenderem as artes e saberes dos mais antigos. E mesmo assim até me custa a crer não haver ninguem que saiba dessas lidas do forno porque vistas bem as cousas, o ti Águsto André e a ti Biatris inda não morreram assim á tantos anos. Mas eu disso tamém no pesco nada. Se fosse do gado, das vacas ou amanho das terras outro galo cantaria.
Munto bôa noute a pra todos.


De Anónimo a 11 de Janeiro de 2011 às 20:22
Neste caso não se tratou nem de inclinação nem de falta de vontade de aprender. A vida "dos novos... não os de agora" não lhes tem permitido, infelizmente, ter disponibilidade para praticar "as artes e saberes dos mais antigos" (de teorias e sentenças está o mundo cheio mas não se faz o pão). Apesar de "a experiência a trabalhar com o forno comunitário ser pouca" ou nenhuma não faltou força de vontade em superar os obstáculos e desbravar caminho desconhecido.
Estão de parabéns os que não desistiram perante as adversidades.
Já agora porque não criar actividades dentro das aldeias para passar a riqueza de conhecimentos dos mais antigos para os mais ou menos novos? Hoje em dia quem sabe tratar do gado? Quem sabe fazer um simples queijo? Quem sabe do amanho das terras? Quem sabe fazer pão? E já agora quem sabe utilizar, devidamente , um forno de aldeia?
Os museus são peças fundamentais para mostrar a riqueza da cultura das aldeias.
Falta agora transmitir o saber-fazer, criar situações de aprendizagem activa para as gerações que não tiveram oportunidade de conviver com os aspectos da vida efectiva dessas aldeias.
Apesar de fundamentais, não se preserva a memória de um povo, apenas, com edifícios recuperados mas sem utilização, fotos para bons tempos recordar, memórias com histórias deslumbrantes de outros tempos, objectos expostos já sem utilização.
É preciso algo mais para que se perpétua a vida activa das nossas aldeias.
Saudações Amistosas


De Jarmeleiro a 12 de Janeiro de 2011 às 23:07
Ora munto bem. Quem bem fala inda melhor escreve. E por mõr disso, melhores são as sentenças e as tiorias que saem. Não foi meu intento nem nunca á-de ser fazer pouco ou ofender alguém e nem é pra isso que por aqui ando. Eu não sou desses. Quanto as meus saberes e fracos préstimos até me sinto bem quando outren deles possa precisar. E até nem me fasso rogado prós passar. Mas como o mundo não comessa nem acaba na sua orta nem na minha eles vão ficando por onde vou passando. Dezendo isto doutra maneira consuante uma cousa que li á dias; Não podemos olhar só pró nosso imbigo. E eu vergado ao peso dos anos e de uma vida de travalho duro, até passo esses meus saberes de graça e inda pago porcima, indo uns dias por semana a um sítio onde eles são precisos. Dão a isto o nome de trabalho de voluntário. E vocemeçê no caso de poder?
Saudaçoes amistosas tamém pra si e
tanha uma bôa noute


De O Ilustrado a 18 de Janeiro de 2011 às 18:15
Dançar mesmo só o Carlos e a Lena. Os outros estão a posar para a foto, atentos a tudo menos ao que estão a fazer.


De Carlos Marques a 19 de Janeiro de 2011 às 13:40
O meu lema é: Põe tudo o que podes e sabes, no mínimo que fazes. Como não sou perfeito, nem sempre consigo fazer jus ao mesmo.


De O Ilustrado a 19 de Janeiro de 2011 às 15:54
So F. Pessoa o diria melhor!


Comentar post

.Memórias de Vilar Maior, minha terra minha gente

.pesquisar

 

.Novembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Descubra a(s) diferença(s...

. Filho de Vilar Maior, Bis...

. Natureza e cultura

. Nós por cá continuamos as...

. Cruz do Arreçaio

. As procissões de outrora

. Recordando a D. Zézinha

. Requiescat in Pace, Alexa...

. A maior família da Vila

. Ritos de passagem - subir...

.arquivos

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

.links

.participar

. participe, leia, divulgue, opine

.

blogs SAPO

.subscrever feeds