Sábado, 20 de Junho de 2020

Tornar Vilar Maior uma aldeia cultural

Dia 27 de junho vai realizar-se uma reunião da Associação Muralhas de Vilar Maior. Pediram-me que desse o meu contributo: Na continuação do que há longos anos venho fazendo neste blog e, mais especificamente nos últimos posts, apresento um resumo muito esquemático de obras a realizar(incluindo algumas já apresentadas anteriormente).
Naquilo que se segue é tão só a minha visão do que poderia ser feito. Sintam-se perfeitamente à vontade para concordarem, discordarem, alterarem, mudarem, sugerirem. 
 
A- Obras sem custo ou baixo custo: 
  1. Hino do Senhor dos Aflitos, escrito em azulejos ou noutro suporte na sua capela ou no largo
  2. Toponímia: A toponímia, que etimologicamente significa o nome dos lugares, pode constituir um precioso contributo para o fortalecimento da identidade de uma comunidade na medida em que por ela se pode transmitir a sua história.
  3. Forca : tomando por base o desenho de Duarte de Armas poder-se-ia reconstruir esta forca. O sítio alto onde se encontra atrairia o olhar de quem visita Vilar Maior. No mesmo sítio  (por sugestão do Carlos Gata)poderia ser construído um miradoiro.
  4. Colocação de cruzeiros anteriormente existentes: Fonte Nova, Largo das Portas. Um cruzeiro que assinalasse o local da extinta capela do Espírito Santo
  5. Plantação de medronheiros e mostageiros nas cercanias do castelo
  6. Implantação de uma nora  e de uma burra (picanço, picota) na Horta da Ribeira ou, em alternativa noutro local público.
  7.  Iluminação da torre da Igreja, da ponte românica, da Forca, do Arco, do Museu, da Igreja da Senhora do Castelo
  8. Reabilitação das Eiras
  9. Desocultação do arco antigo da capela de S. Sebastião
  10. Reclamar o canhão de VM que está à entrada do museu da Guarda e colocação no local em que exerceu função

B - Com algum custo:

1. Consolidação das ruínas da Senhora do Castelo e construção de um átrio partilhado com o cemitério

2. Aquisição e construcão de um largo junto da Igreja Matriz

3. Reabilitação da Torre de Menagem, tornando possível a subida à mesma e o disfrute da paisagem.

4. Mostra das estruturas  de três culturas impotantes: O ciclo do pão - arado(tapada) - Eira - Moinho - Forno; O ciclo do vinho - lagar/prensa - dorna/ tonel - Alambique; O ciclo do linho - Ripanço, maçadoiro - roca - tear

5. Valorização da encosta norte do castelo; incluindo o trajeto (passadiços?) desde a barragem das Eiras até ao pontão do Pindelo (com reabilitação do moinho, visita ao Pombal, às sepulturas antropomórficas ...); os caminhos que vão dar à Fraga e um miradoiro no Saltadoiro dos Cães.

6. Dado quase como certo que a zona das Lages, as casas jamais serão recuperadas para viver, deveria haver um trabalho de limpeza e conservação de ruínas. 

 

 

publicado por julmar às 11:03
link | comentar | favorito
Domingo, 14 de Junho de 2020

Tornar Vilar Maior uma aldeia cultural - 4

Foto igreja.jpg

Repito o que disse em post de 27 de Fevereiro:

«Todos os vilarmaiorenses sentimos que a nossa terra, a Vila, tem alguma coisa de diferente, de especial que nos faz sentir orgulhosos por sermos sua pertença. Ao mesmo tempo, sentimos que está a ficar cada vez mais deserta, mais abandonada, temendo, com fortes razões, que o seu tempo esteja a chegar ao fim. Seria muito triste que um passado de mais de oito séculos acabasse assim, sem mais nem menos, como se todo o seu passado se enterrasse. Mais triste, ainda, por sermos nós a assistir à sua agonia sem nada fazermos. Por isso, antes que morra, antes que alguém, por milagre, a  viesse a ressuscitar, vamos todos fazer o que deve ser feito. E o que deve ser feito? Pensar, comunicar e agir. Sem medo e sem vergonha. Com transparência e clareza. Com responsabilidade, com respeito, em diálogo. Começando por pequenas coisas. Começando por coisas que não custam dinheiro - há muito a fazer e, uma vez feitas, fazem a diferença; por coisas que custam pouco dinheiro - e valem muito; por coisas que custam mais dinheiro mas quando tivermos feito as outras estaremos preparados para elas. (...)»

Propusemos até agora

1) Devolver às Eiras - um lugar das nossas memórias - o aspeto  de um lameiro. Iniciou-se, já, com o levantamento do monte de terra.;

2) Construir um painel com os versos do Hino do Senhor dos Aflitos a colocar na parte exterior da respetiva capela ou do respetivo largo;

3) Levantamento da Forca, de acordo com o desenho feito por Duarte D'Armas.

Convido-vos a olhar para a fotografia que inicia este post. Quando tiverem oportunidade, vão ao local. Observem, olhem com atenção. A Igreja matriz de S. Pedro não mereceria um outro enquadramento?

Faço, apenas, notar que estamos na parte histórica da nossa vila e que este largo seria  a ligação para o museu, para a Igreja da Senhora do Castelo /Cemitério e Castelo

Aceitam- se sugestões.

publicado por julmar às 12:20
link | comentar | favorito
Terça-feira, 2 de Junho de 2020

Histórias de vida à volta de um corno!

rica vida.JPG

(Fotografia retirada do facebook de António Simões)

Adoro fotografias antigas, a preto e branco, de gente da Vila. Trata-se de uma fotografia de 1943, dentro das muralhas do castelo onde, nos dias antes se tinha representado um drama ( o que era feito com alguma frequência), como testemunha a estrutura de madeira que serviu de palco ao espectáculo. As gentes da vila eram muito dadas à farra e, volta e meia, lá reuniam segundo afinidades de amizade, parentesco, vizinhança, de pertença a grupos sociais e de sexo separadas no templo e no tempo. Dos presentes na foto conheci o sr Raul, o sr José Simões e o sr Fernando Castelo Branco. Apostaria que o senhor atrás do sr Raul seria seu pai, Alexandre Araújo que, com a D. Olívia sua esposa, constitíram uma das mais extensas e prestigiadas família de Vilar Maior, unindo as linhagens Araújo e Ferreira Franco.

O sr Fernandinho ( Fernando, Castelo Branco, Boavida e Areias para os invejosos), vindo da Orca, com saber e sorte, com o casamento com  Adélia Gata (minha excelente professora), enriquecido com a exploração do  exploração do volfrâmio, ganhou prestígio e direito a estar no grupo.

 

publicado por julmar às 11:09
link | comentar | favorito

.Memórias de Vilar Maior, minha terra minha gente

.pesquisar

 

.Setembro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

22
23
24
25
26

27
28
29
30


.posts recentes

. Da minha janela

. Anta da Pedra da Anta, Ma...

. Rostos da Vila, antes de ...

. XI Almoço da Família Silv...

. Vilar Maior eleito como o...

. Tornar Vilar Maior uma al...

. Por terras do concelho do...

. Tornar Vilar Maior uma al...

. Tornar Vilar Maior uma al...

. Vamos reedificar a Forca!

.arquivos

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

.links

.participar

. participe, leia, divulgue, opine

.

blogs SAPO

.subscrever feeds