Sexta-feira, 17 de Julho de 2015

A Família Rasteiro

Do que pesquisei o antropónimo Rasteiro terá tido origem por terras da Vila ou da Arrifana. Procurei-os em listas telefónicas antigas e na Internet em listagens várias. Nem rasto aparece. Mesmo em documentos da Vila, como seja, as Mesas da Misericórdia  ou bens de alma e, mais uma vez, não aparece. Nos registos de batismo  o mais antigo que temos é de um tal João, filho de José Rasteiro, casado com Maria Amélia Passareira, do ano 1913

O nome, não se encontra fora de Vilar Maior e terras confinantes – Arrifana, Aldeia da Ribeira, Batocas – e os que encontrarmos por outras paragens, nomeadamente em França, são descendentes dos Rasteiros daqui. Este, é assim um nome que aqui se criou.

Se todos os nomes têm um significado, este leva-nos, num primeiro momento, a tudo o que anda rente ao chão, àquilo que se arrasta ou que anda de rastos, ao que é rastejante ou rastejador. Poderia ser por serem de baixa estatura? Podera, mas, em termos físicos, a estatura da família Rasteiro está provavelmente, na média das outras famílias. Também poderia haver um antepassado especialmente pequeno, que por alcunha se transmitisse aos descendentes. A origem poderá ser outra, bem mais plausível, se tivermos em conta o perfil psicológico. Rasteiro pode ser aquele que segue, identifica ou, até, o que produz ou (não) deixa rasto o que se traduz numa capacidade notável de sobrevivência e de êxito na vida. O perfil psicológico contraria o primeiro sentido que nos atira para a submissão, a obediência, o servilismo, a humildade mesmo. Os Rasteiros(as)têm um carácter guerreiro, são afirmativos, independentes, desafiadores, destemidos, altivos, confiantes, com elevada auto-estima que no excesso, os pode levar a uma auto-imagem de superioridade, tão evidenciada no ti Manel Rasteiro: “Atão, caratel, atão no vendes que não há vacas com mais força cas minhas, home!”  Estas características levam à criação de uma imagem de animosidade e conflito que mais os conduz à afirmação das mesmas. O sentido de oportunidade e de risco leva-os a dedicarem-se a negócios e a serem os primeiros a emigrarem. A ocupação dominante era a agricultura e a pastorícia, raramente artesãos,  lavradores  mais que jornaleiros que lhes tiraria a independência. Em casos de excepção, dedicaram-se a estudos para além do ensino básico. O humor está longe de ser um traço dominante como não perdem tempo com o jogo. A vida é levada a sério. Tornou-se, no século XX, uma das mais extensas famílias da Vila cruzando-se com as famílias: Cruz, Cerdeira, Costa, Lourenço, Sacadura, Carreira, Silva, Martins, Cunha, Proença, Costa, Fernandes, Passareira, Alves, Santos, Dias, Gonçalves, Bárbara, Gil, Duarte, Louro. Certamente, ainda outras de que não tenho conhecimento. Aos da minha geração ficam-nos na memória a ti Filomena Rasteira (mãe do António, do Zé e do Manel), o ti António Rasteiro, da Arrifana (pai do Chico), o ti Manel Rasteiro, o ti Júlio, a ti Maria, a ti Matilde, o ti Zé, que na generalidade, cumpriram generosamente, o mandamento bíblico: "Crescei e multiplicai-vos", de onde se segue haver uma profícua descendência que, dado o fenómeno da globalização, deixou de estar confinada à Vila, mas que aí regressam quando podem. 

publicado por julmar às 19:36
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De José Rasteiro Gaspar a 31 de Dezembro de 2015 às 21:38
Também sou Rasteiro, moro no Brasil , meu bisavô se chamava Antônio Rasteiro Gaspar.


De Renato Costa Rasteiro a 15 de Fevereiro de 2017 às 13:53
Sou da família rasteiro...interior do estado de São Paulo


Comentar post

.Memórias de Vilar Maior, minha terra minha gente

.pesquisar

 

.Junho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Dia dos irmãos, dia mundi...

. Porque hoje é o dia da mã...

. Requiescat in pace, Lurde...

. Requiescat in pace, Amade...

. Requiescant in pace, Isab...

. As procissões de outrora

. Saudade das coisa simples...

. Requiescat in pace, Antón...

. Requiescat in pace, Lúcia...

. Uma boa Notícia - Associa...

.arquivos

. Junho 2018

. Maio 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

.links

.participar

. participe, leia, divulgue, opine

.

blogs SAPO

.subscrever feeds